CARTA MCC BRASIL – AGO 2020 – 252ª

“Uns oito dias depois destas palavras,
Jesus levou consigo Pedro, João e Tiago,
e subiu à montanha para orar.
Enquanto orava, seu rosto mudou de aparência
e sua roupa ficou branca e brilhante.”
“E da nuvem saiu uma voz que dizia:
‘Este é o meu Filho, o Eleito. Escutai-o’” (Lc 9, 28-29; 35).1

Queridos irmãos, queridas irmãs, leitores e leitoras assíduos das reflexões mensais através das quais compartilhamos nossos esforços nessa contínua caminhada da conversão – a todos minha cordial saudação.

Introdução. Convido-os a que nos fixemos no tema central da presente reflexão. Logo no início de agosto – 06/08 – celebramos a liturgia da Transfiguração de Jesus no alto de uma montanha e testemunhada por três dos seus apóstolos. Com certeza ficamos encantados com essa transformação física da pessoa humana de Jesus. E, mais ainda, como àqueles discípulos, também a nós é dirigida a palavra que vem do alto: “Este é o meu Filho, o Eleito. Escutai-o” (Lc 9,35).

1. Transfiguração de Jesus e nossas máscaras. A maravilha não se limita somente à aparência do rosto. Muda o aspecto do corpo inteiro de Jesus que é todo iluminado. Jesus se transfigura em LUZ. Ele mesmo vai lembrar depois: “Eu sou a luz do mundo…” (Jo 8,12a). Aqui, nos difíceis momentos desta pandemia pelos quais todos estamos passando, com máscaras protetoras como que desfigurando nossos rostos e tornando-nos quase irreconhecíveis, lembremo-nos que num verdadeiro processo de conversão, torna-se urgente que nos deixemos transformar por inteiro em LUZ: “Quem me segue não caminha nas trevas, mas terá a luz da vida” (Jo 8, 12b). Assim é necessário ir tirando as máscaras atrás das quais muitas vezes nos escondemos, para podermos irradiar a mesma luz de Jesus. Então, saindo mais iluminados por LUZ, mais chamejantes de corpo inteiro poderemos iluminar o nosso mundo em trevas. “Lâmpada para meus passos é tua palavra e luz no meu caminho” (Sl 119, 105)

2. À escuta do Filho, o Eleito. Estavam os discípulos muito assustados, quase como em transe e até meio adormecidos… Portanto, fora de si e do seu raciocínio perfeito diante do estavam presenciando. Ao ponto de achar que poderiam ficar ali para sempre. Então, acorda-os “uma voz vinda do alto”: “Este é o meu Filho, o Eleito. Escutai-o”. O tempo de reclusão e de quarentena a que está terrível pandemia nos obrigou, deverá ter servido ou ainda continua a servir como um tempo favorável para permanecermos naquela atitude do profeta e repetida pela voz que veio do alto. Seria este um tempo propicio para que nós, também ainda em quarentena, encontremos momentos favoráveis para manter uma permanente atitude de escuta: “Fala, Senhor, que teu servo escuta”. (1Sm 3, 10). Aquela voz misteriosa é a voz do Pai que manifesta a identidade do seu Filho. Todos somos convidados a encontrar ou reencontrar essa mesma identidade de Jesus, pois, reencontrando-a, encontraremos a nossa própria. A propósito, lembremos São Paulo que, em muitas passagens de suas Cartas afirma e reafirma essa nossa identidade com Jesus. Aos Gálatas ele sintetiza essa divino-humana realidade: “Eu vivo, mas não eu: é Cristo que vive em mim” (Gl 2,20a).

3. Ouvindo e guardando no coração e na vida. Não poderia terminar sem lembrar outra importante celebração deste mês: a Assunção de Maria ao Céu. “A Imaculada Mãe de Deus e sempre Virgem Maria, terminando o curso de sua vida terrestre, foi assunta em corpo e alma à glória celestial”. (Constituição apostólica Munificentissimus Deus, Pio XII, 01.11.1950. nº 44). E enquanto esteve no mundo, desde o momento da Anunciação, deu-nos inúmeros exemplos de que estava sempre disponível para escutar a Palavra, para fazer a vontade do Pai. (cf. Lc 1, 26-37). E, depois de tudo, Maria “guardava todas estas coisas no coração” (Lc 2,51).

Sugestão para reflexão pessoal e/ou em grupo. De que forma você tem vivido ou continua a viver esta quarentena? Tem dedicado algum tempo à escuta do Filho Eleito, Jesus? Você sente que sairá melhor, em processo de transfiguração interior, deste tempo de provação e de tantos desafios? Você olha para Maria como modelo de cristã e discípula missionária?

Esperando, que as provações a que somos submetidos nos conformem sempre mais com o Mestre a quem decidimos seguir, deixo-lhes meu abraço fraterno.

_________________________
1 Bíblia Sagrada, tradução da CNBB

P. José G. BERALDO

Equipo Sacerdotal GEN MCC Brasil

E-mail: jberaldo79@gmail.com

 


Cursilho Piracicaba
Desenvolvimento e Hospedagem:eCliente Tecnologia