Quero fazer Cursilho
Escola Vivencial
Deixe seu recado
Aumentar fonte  Diminuir fonte  Indicar esta página  Imprimir esta página
Aula 21/2009
21- CARTA A TITO
ENDEREÇO, SAUDAÇÃO, ORGANIZAÇÃO E CONFLITOS
(1, 1 – 16)
 
Quem foi Tito? -: o Novo Testamento fala muito pouco de Tito. Se não houvesse uma carta endereçada a ele, certamente estaria entre as figuras de menor importância associadas à vida e à missão de Paulo. Sabe-se que era pagão antes de encontrar-se com Paulo. Após convertido, tornou-se companheiro e discípulo, tendo acompanhado o Apóstolo na sua viagem a Jerusalém (Gal 2, 1) por ocasião daquele evento conhecido como “concílio de Jerusalém”, entre Paulo e os apóstolos de Jesus. Esse “concílio” tratou principalmente das exigências impostas aos pagãos que se tornavam cristãos. Muitos dos apóstolos de Jesus (Tiago Alfeu, por exemplo) ainda exigiam que os novos convertidos adotassem muitos costumes judeus, como a circuncisão. Paulo não permitiu que Tito fosse circuncidado, sinal de que em Jesus Cristo, todos tinham liberdade.
    Tempos depois, durante a 3ª. viagem, Paulo pediu a Tito que fosse a Corinto conciliar os ânimos da comunidade, onde muitos eram adversários de Paulo, conforme já visto. Quando se encontraram na Macedônia, as boas notícias trazidas por Tito deram a Paulo muitas alegrias.
    Na 2ª. carta a Timóteo (4, 10) lemos que Tito foi enviado para a Dalmácia. A Dalmácia era uma região do Império Romano que hoje corresponde à Croácia, na ex-Iugoslávia, e Tito foi para lá animar as comunidades que lá existiam e fundar novas.
Nesta carta a ele endereçada, Tito estava na ilha de Creta, para organizar as comunidades de lá. No final da carta, Paulo pede a Tito que se encontre com ele em Nicópolis. Isso mostra que a mobilidade de Paulo e seus companheiros era impressionante, não tendo residência fixa em lugar algum. O que importava era evangelizar o mundo.
 
Quem escreveu a carta a Tito? -: esta carta é considerada também como deuteropaulina. As razões são as mesmas de outras que já vimos. São questões relativas ao vocabulário, ao estilo, à forma de apresentação, etc. A maioria dos estudiosos acreditam que esta carta foi escrita por alguém muito ligado a Paulo, a seu mando.
 
Endereço, saudação, organização e conflitos -: “Paulo, servo de Deus, apóstolo de Jesus Cristo para levar os escolhidos de Deus à fé e ao conhecimento da verdade que conduz à piedade e se fundamenta sobre a esperança de vida eterna. Deus, que não mente, nos prometeu essa vida antes dos tempos eternos e no tempo certo a manifestou com sua palavra, através da pregação que foi a mim confiada por ordem de Deus, nosso Salvador. A você, Tito, meu verdadeiro filho na fé comum, graça e paz da parte de Deus e de Jesus Cristo, nosso Salvador (1, 1 – 4)”.
    Paulo (ou alguém, em seu nome) se apresenta como servo e apóstolo. Essas duas palavras sintetizam toda a missão de Paulo. No Antigo Testamento, os profetas eram conhecidos como “servos de Deus”. Dessa forma, Paulo se associa aos profetas de Deus, um continuador do serviço que os profetas do A.T. prestaram a Deus. É também um apóstolo, ou seja, um enviado (não mais do Antigo, mas do Novo Testamento) por Jesus Cristo.
    “Eu o deixei em Creta para que você cuidasse de organizar o que ainda restava para fazer e para que nomeasse em cada cidade os presbíteros das igrejas, conforme as instruções que lhe deixei: o candidato deve ser irrepreensível, esposo de uma única mulher, e seus filhos devem ter fé e não ser acusados de maus costumes nem de desobediência. De fato, o dirigente não deve ser arrogante, nem beberrão ou violento, nem ávido de lucro desonesto. Pelo contrário, deve ser hospitaleiro, bondoso, ponderado, jsto, piedoso, disciplinado e de tal modo fiel à fé verdadeira, que seja capaz de aconselhar segundo a sã doutrina e também de refutar quando a contradizem (1, 5 – 9)”.
    Como se vê, Tito é deixado na ilha de Creta com uma missão dividida em dois aspectos: primeiro, dar sequência ao que faltava na organização das comunidades. Nada sabemos sobre o que faltava na organização. A carta dá a entender que Paulo estivera em Creta, mas não pôde terminar essa organização, tendo que partir às pressas.
Em segundo lugar, Tito deve nomear em cada cidade da ilha os presbíteros das igrejas, conforme as instruções que recebeu.
 
O conflito -: “De fato, há muitos rebeldes, faladores e enganadores, principalmente entre os que vieram do judaísmo. É preciso fazer com que eles se calem, pois estão pervertendo famílias inteiras, ensinando o que não devem, com a vergonhosa intenção de ganhar dinheiro. Um dos próprios dirigentes deles disse :´Os habitantes de Creta são sempre mentirosos, animais ferozes, comilões preguiçosos´. E o que ele disse é verdade. Por isso, repreenda-os com firmeza” (1, 10 – 13).
    A missão de Tito é espinhosa. Ao que parece, Paulo (ou quem escreveu a carta em seu nome) perdeu a paciência com os rebeldes. Pede a Tito que “lhes cale a boca” e os acusa de pregar a falsa religião “para ganhar dinheiro”.  Isso mostra que; às vezes, é preciso ser duro com tais tipos. Ainda hoje, quantos não se tornam ricos pregando falsas idéias e usando o cristianismo para seus próprios interesses pessoais?
 

Site criado com o sistema Easysite Empresarial da eCliente.
ECLIENTE INFORMÁTICA