Quero fazer Cursilho
Escola Vivencial
Deixe seu recado
Aumentar fonte  Diminuir fonte  Indicar esta página  Imprimir esta página
Aula 10/09/18 - O Magistério da Igreja

ESCOLA VIVENCIAL DO GED DE PIRACICABA – 2018

 

O MAGISTÉRIO DA IGREJA

10/Setembro/2018

 

A interpretação da doutrina das Escrituras -: a tarefa de interpretar fielmente e autenticamente a Palavra de Deus escrita (Bíblia) ou transmitida (Tradição) foi confiada ao Magistério da Igreja unicamente, cuja autoridade é exercida em nome de Jesus Cristo, isto é, aos bispos em comunhão com o sucessor de Pedro, o bispo de Roma. Qualquer outra interpretação da Palavra de Deus que não proceda da Igreja Católica não pode ser levada a sério, pois é uma interpretação de alguém que não tem autoridade para fazê-lo, pois não se apoia na Tradição. Por isso, aí estão às dezenas de igrejas e seitas protestantes  diferentes cada uma apoiada nas interpretações de seus fundadores, e não na sabedoria e segurança que vem da Igreja Primitiva.

 

            O Magistério da Igreja Católica não está acima da Palavra de Deus, mas a serviço dela, não ensinando senão aquilo que foi transmitido desde o princípio. Os fiéis devem lembrar-se das palavras de Cristo a seus apóstolos: “Quem vos ouve, a mim ouve” (Lc 10, 16). Como os sucessores dos apóstolos são os sacerdotes da Igreja, isso significa que a missão de interpretar a Palavra de Deus e ensinar como praticá-la cabe a eles unicamente, e não a qualquer um que se proponha a fazer isso de acordo com seu  pensamento.

 

 

Os dogmas da fé -: o Magistério da Igreja empenha plenamente a autoridade que recebeu de Cristo quando ensina que há dogmas que devem ser observados pelo cristão católico. Os dogmas são verdades de fé que não admitem contestações porque são baseadas na Revelação divina. A plena aceitação dos dogmas de fé faz parte da obediência devida à autoridade da Igreja Católica e dos seus ensinamentos. Existe uma ligação entre a vida espiritual e os dogmas. Os dogmas são verdades que iluminam e tornam seguras as bases de nossa fé.

 

            Os dogmas têm essas características porque o fiel confia em que os dogmas são verdades que estão contidas, implícita ou explicitamente, na Revelação Divina ou que tem com ela uma legítima conexão. Para que estas verdades se tornem dogmas, é necessário que elas sejam propostas através de uma definição solene e infalível pelo Supremo Magistério da Igreja: o Papa ou Concílio Ecumênico com o Papa.

 

 

Ensinamentos do Magistério sobre os dogmas -: a Igreja Católica divide os dogmas de fé em oito categorias: Dogmas sobre Deus, sobre Jesus Cristo, sobre a Criação do mundo, sobre o ser humano, sobre Nossa Senhora, sobre o Papa e a Igreja, sobre os Sacramentos e sobre as últimas coisas.

 

            Dogmas sobre Deus (5): a Existência de Deus pela razão, a Existência de Deus pela fé, a Unidade de Deus, a Sua Eternidade e a Santíssima Trindade.

 

            Dogmas sobre Jesus Cristo (8): Jesus é verdadeiro Deus e Filho de Deus, possuem duas naturezas, divina e humana, as duas naturezas possuem vontade e modo de agir indivisível, Jesus é Filho unigênito de Deus, sacrificou-se e ofereceu-se para a Salvação dos homens, reconciliou a humanidade com Deus, ressuscitou ao 3º. Dia e subiu aos céus em corpo e alma.

 

            Dogmas sobre a criação do mundo (3): tudo o que existe foi criado por Deus, o mundo principiou em um determinado tempo e o mundo é conservado por Deus.

 

            Dogmas sobre o ser humano (3): o homem possui corpo e alma, o pecado original se propaga a todos os seres humanos e a redenção dos pecados só pode ser feita por Deus.

 

            Dogmas sobre Nossa Senhora (4): Maria teve uma Imaculada Conceição, Maria é sempre virgem, Maria é a Mãe de Deus e Maria foi assunta aos céus em corpo e alma.

 

            Dogmas sobre o Papa e a Igreja (5): a Igreja foi fundada por Jesus Cristo, Jesus deu a Pedro a chefia da Igreja e depois aos seus sucessores, o Papa tem o pleno poder sobre a Igreja na sua fé e no seu governo, o Papa é infalível nas questões de fé e a Igreja também é infalível, como consequência, nas questões de fé e de costumes.

 

             Dogmas sobre os Sacramentos (9): os sete Sacramentos fazem parte dos dogmas, sendo cada um deles um dogma de fé, Além dos sete Sacramentos, a Igreja tem ainda como dogmas sobre os Sacramentos o perdão dos pecados e a transubstanciação do pão e do vinho no Corpo e no Sangue do Senhor.

 

             Dogmas sobre as últimas coisas (7): a morte é consequência do pecado, as almas dos justos vão para o Paraíso, o inferno é uma possibilidade real, as almas ainda devedoras por pecados veniais purificam-se no Purgatório, Jesus Cristo virá uma 2ª vez na Parusia, os mortos ressuscitarão no último dia e haverá então o Juízo Universal.

 

 

A compreensão da fé -: graças à assistência do Espírito Santo, a verdadeira fé pode ser compreendida pela Igreja e transmitida aos cristãos pelo seu Magistério. Fica, portanto claro que segundo o Plano de Deus, a Sagrada Escritura, a Sagrada Tradição e o Magistério da Igreja estão de tal modo entrelaçados e unidos que um não tem sentido sem os outros e que juntos, cada qual a seu modo, contribuem para a salvação das almas, sob a ação do Espírito Santo.  

 

Site criado com o sistema Easysite Empresarial da eCliente.
ECLIENTE INFORMÁTICA